29.9.19

Poesia de José Inácio Vieira de Melo


poeta José Inácio
José Inácio Vieira de Melo



A Poesia de José Inácio Vieira de Melo



DEUSES

Agora a minha namorada toca violão
 na calçada dos meus quinze anos,
 no tempo em que eu era um deus de cabelos encaracolados,
 no tempo que eu carregava a espada da embriaguez
 e comungava o cálice da imortalidade
 com anjos alucinados – uns sandros, uns samuéis –
e comia o pão dos delírios e jogava futebol
 cabeceando o planeta rumo à rede do infinito.

Eu já bebi o mel das estrelas, abelhas acesas no palco do sertão,
 eu já subi a montanha milhares de vezes chutando essa bola de pedra,
 eu sei que é assim, que é sempre assim, mas quando encontro teu olhar
as luzes se acendem e tudo isso passa a significar algo.

E como é bom esse momento que significa e amplia meus sentidos.
Ah, minha namorada, lança teu olhar sobre meus abismos!


José Inácio Vieira de Melo





in Revista Brasil 2014
Revista literária - Castelinho Edições
(publicação impressa e digital  de distribuição gratuita- download da versão digital aqui)

fotografia: Ricardo Prado


página de José Inácio Vieira de Melo









0 comentários:

Postar um comentário